quarta-feira, 9 de abril de 2008

VERDADEIRO AMOR

Um senhor de idade chegou a um consultório médico, para fazer um curativo em sua mão onde havia um profundo corte. E muito apressado pediu urgência no atendimento, pois tinha um compromisso. O médico que o atendia, curioso perguntou o que tinha de tão urgente para fazer. O simpático velhinho lhe disse que todas as manhãs ia visitar sua esposa que estava em um abrigo para idosos, com mal de alzheimer muito avançado.
O médico muito preocupado com o atraso do atendimento disse:
- Então hoje ela ficará muito preocupada com sua demora?
No que o senhor respondeu:
-Não, ela já não sabe quem eu sou. A quase cinco anos que não me reconhece mais...
O médico então questionou:
- Mas então para que tanta pressa, e necessidade em estar com ela todas as manhãs, se ela já não o reconhece mais?
O velhinho então deu um sorriso e batendo de leve no ombro do médico respondeu:
-Ela não sabe quem eu sou...Mas eu sei muito bem quem ela é!
O médico teve que segurar suas lágrimas enquanto pensava... ...É esse o tipo de Amor que quero para minha vida.
O verdadeiro AMOR, não se resume ao físico, nem ao romântico. O verdadeiro AMOR é aceitação de tudo que o outro é... De tudo que foi um dia...do que será amanhã... e do que já não é mais! (Autor Desconhecido)

*** Acho que era isso que eu sempre quis que as pessoas entendessem quando me perguntam porque ainda me pego pensando em você... Um ano e 3 meses depois... ainda não consegui esquecer TUDO que você significou e ainda significa para mim e para minha vida. Acho que nunca esquecerei... ***

8 comentários:

Akinogal disse...

See Please Here

Ingrith disse...

Eita esse coração, viu!!! Ele judia demais da gente! Aff

Oliver Pickwick disse...

Nada é para sempre. TUDO, dentro em pouco não passará de uma nostalgia.
Um beijo!

Jana Ursine disse...

Oiee!
Retribuindo a visitinhaaa! Nossa, muito obrigada! Fiquei muito feliz com as palavras, viu?!
Essa Erika... uma danada ela, né? uma fofa mesmo...
Volta mais! E divulgue para as amigas se puder, por favor!
Eu ainda volto aqui com mais calma, que agora tem 'Mulheres de Holanda' pra eu ir ver! Iupiiiii!
Bjos!

Jana Ursine disse...

PS: a Ingrith é outra fofa!

Jeff disse...

é carol ...
me senti na obrigação de comentar. Estou passando por uma situação muito parecida e quando vc postou um comentário próprio ao final do texto, me vi escrevendo junto com vc. É muito complicado explicar com palavras o verdadeiro sentido do amor. Realmente só quem sabe é quem sente. As palavras, atitudes, gestos ... para outras pessoas podem ser banaias, mas quando são entendidas ficam em uma situação como médico da história. O amor é intrasferível e inesquecível (quando se ama de verdade).
* posso continuar postando comentários? teus textos são bons!

OUTONO disse...

É isso menina bonita.
"O verdadeiro AMOR, não se resume ao físico, nem ao romântico. "
Para mim, dou mais importância à personalidade, do que à propriedade!

Beijo

O DiaCrônico disse...

Carol,

tem um filme (lindo!) cuja essência da história é justamente esse conto.
Vou descobrir o nome e te falo depois.

Há braços.

Eduardo